ESPAÇO PARTICULAR SEM QUALQUER RELAÇÃO LEGAL COM A IGREJA

sábado, 28 de março de 2009

Procure Primeiro Compreender, Depois Ser Compreendido

Quando ouvimos mais com a intenção de compreender os outros do que com a de retrucar, começamos a construir a verdadeira comunicação e o verdadeiro relacionamento. As oportunidades para falar abertamente e ser mais bem compreendido surgem de modo mais fácil e espontâneo. Procurar compreender exige consideração, procurar ser entendido requer coragem. A eficácia reside no equilíbrio das duas coisas.

Stephen R. Covey

A Solução Para a Pobreza

“Chorei ao ver a pobreza e o sofrimento do povo desta parte do mundo. Meu coração está cheio de compaixão pôr essas pessoas. Não sei qual pode ser a solução, exceto o evangelho de Jesus Cristo. Acho que essa é a única coisa que poderá ajudá-las e abençoar sua vida. Se essas pessoas, mesmo vivendo na pobreza e miséria, olharem para Deus com esperança e fé, serão consoladas nos momentos de tristeza. Creio também de todo coração que se aceitarem o evangelho e o viverem, pagando seus dízimos e ofertas, pôr menores que sejam, O Senhor cumprirá Sua antiga promessa em favor delas, e terão arroz em seus pratos, roupas para vestir e um teto onde morar. Não vejo outra solução. Essas pessoas precisam de um poder maior do que qualquer coisa existente na Terra para elevá-las e ajudá-las”.

Presidente Gordon B. Hinckley
Reunião missionária, Missão Filipinas Cebu, 01/jun/1996.


Novo Presidente da Missão Brasil Belo Horizonte


Adilson de Paula Parrella, 46, e Elaine Finholdt Parrella, têm cinco filhos, e foram chamados para servir na Missão Brasil Belo Horizonte; pretencem à Ala de Alphaville, Estaca Brasil Barueri. O irmão Parrella é um Setenta de Área e já serviu como conselheiro da Presidência de Estaca, Bispo, Presidente de Ramo e serviu uma missão de tempo integral na Missão Brasil Porto Alegre. É sócio adjunto da Korn/Ferry International. Nascido no Guaruja, Brasil, filho de Fioravante e Vany de Paula Parrella. Sister Parrella é directora de musica da ala e já serviu como presidente da Primária da Estaca, conselheira da Primária da Ala e directora do coro da Primária da Estaca, nascida em São Paulo, filha de Paulo Volnei e Diva Morillas Finholdt.

sexta-feira, 27 de março de 2009

À MANEIRA DO SENHOR


Ao nos tornarmos auto-suficientes , também nos tornamos mais capazes de cuidar dos outros. Como discípulos de Cristo, devemos honrar nossos convênios de consagrar nosso tempo, talentos e recursos para edificar o reino de Deus e
cuidar dos necessitados.
O Senhor estabeleceu, por meio da Igreja, um meio de cuidar dos pobres e necessitados e ajudá-los a readquirir a auto-suficiência. Prover aos pobres e necessitados à maneira do Senhor significa que ajudaremos os menos afortunados, doando de acordo com o que recebemos de Deus. Devemos dar liberalmente e com um verdadeiro espírito de amor, reconhecendo que o Pai Celestial é a fonte de todas as nossas bênçãos e que somos responsáveis por usar essas bênçãos para servir aos outros.
Quase todos nós podemos dar alguma coisa aos outros, não importa que tenhamos pouco. Quando Jesus viu pessoas ricas contribuindo com grandes quantias para o tesouro do templo e uma pobre
viúva contribuindo com uma pequena quantia, disse aos Seus discípulos:
“Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento.” (Marcos 12:41–44)
Existem muitas razões pelas quais os membros da Igreja podem não ter os recursos para enfrentar suas necessidades básicas. Os membros podem ser idosos ou incapacitados. Podem ter realizado escolhas imprudentes, seja deliberadamente ou porque não possuíam instrução suficiente para aplicar os princípios de trabalho e auto-suficiência, a fim de preparar-se para
os tempos de adversidade. Podem ter sido privados dos recursos necessários devido a desastres naturais ou por causa de problemas econômicos e políticos em seu país.
Quando os membros da Igreja estão fazendo tudo o que podem para prover por si mesmos, mas ainda assim não conseguem satisfazer a suas necessidades básicas, devem primeiramente recorrer à sua família em busca de ajuda. Quando isso não for suficiente, a Igreja estará pronta a ajudar. O Senhor declarou que ouvirá o clamor dos necessitados e não os abandonará. (Ver Isaías 41:17.) Os membros da Igreja que precisarem dessa ajuda devem recorrer aos seus bispos.
Quando recebemos ajuda, devemos aceitá-la com gratidão e humildade, agradecendo ao Senhor por Sua bondade e pela bondade dos outros. (Ver D&C 56:18; 78:19.) Devemos usar a ajuda para livrarmo- nos da servidão e das limitações de nossas necessidades, ficando mais autosuficientes.
Devemos, então, estender as mãos para ajudar os outros. Prover à maneira do Senhor torna o
doador mais humilde, exalta o recebedor e santifica a ambos. (Ver D&C 104:15–18.)
Ambos são abençoados ao guardar os mandamentos do Senhor. (Ver D&C 130:20–21.) Ambos se tornam mais aptos a doar como Cristo doa.
Quando nos esforçamos para dar e servir como Cristo fez, somos abençoados abundantemente. Sobrepujamos o egoísmo e a cobiça e moderamos nossos apetites e paixões.
Desenvolvemos o desejo de dar tudo que temos para ajudar a edificar o reino do Senhor. (Ver D&C 42:31.) Conservamos a remissão de nossos pecados. (Ver Mosias 4:26.) Nossa confiança se fortalecerá na presença de Deus. (Ver D&C 121:45–46.) E nos encheremos de alegria. (Ver D&C
11:12–13.)

PROVER À MANEIRA DO SENHOR pág.07

quinta-feira, 26 de março de 2009

Mão que Ajudam


Um programa permanente de ajuda humanitária e de serviço comunitário, que mobiliza milhares de voluntários de todas as idades, membros d´A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, no Brasil, estendendo a mão a quem precisa.

Em parceria com outras entidades, instituições religiosas, empresas privadas, órgãos governamentais ou organizações assistenciais, levamos alento aos menos favorecidos em asilos, orfanatos, creches, ruas e onde houver necessidade. Por meio de serviço altruísta, doamos parte do nosso tempo para levar esperança onde existe aflição, alívio onde há dor e amor onde há desprezo. Estamos sempre prontos para ajudar a limpar, reformar e fazer a manutenção de escolas e outros lugares públicos, preservar o meio ambiente, apoiar campanhas comunitárias e participar de projetos que visem a conservar o bem coletivo.

Se você também quer servir, junte-se a nós. O exemplo é capaz de mobilizar aqueles que as palavras não convencem. Ensine o homem a amar, você tem esse dom.

Mãos que Ajudam.
" Vinde, e vede."

(João 1:39,46)



video

quarta-feira, 25 de março de 2009

O Poder Alentador da Fé nos Momentos de Incerteza e Provação


“Toda vez que você provar sua fé, ou seja, agir retamente seguindo uma inspiração, você receberá a evidência confirmadora do Espírito. Esses sentimentos fortificarão sua fé. À medida que você repetir esse padrão, sua fé se tornará mais forte... Com a prática constante, a fé se tornará uma força vibrante, poderosa, motivadora e inspiradora em sua vida.”




Élder Richard G. Scott

do Quórum dos Doze Apóstolos
“O Poder Alentador da Fé nos Momentos de Incerteza e Provação”
A Liahona, maio de 2003, p. 75.

Tema da Mutual 2009

“Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza”
(I Timóteo 4:12)

Igreja quer ser o 'google' das famílias


Uma montanha de granito nos arredores de Salt Lake City, no Meio-Oeste americano, esconde o tesouro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. É lá que os mórmons, como são apelidados os praticantes de religião, guardam as bases do que eles pretendem transformar numa espécie de "goolge" para buscar pessoas e famílias. Em corredores intermináveis escavados no interior da montanha, arquivos me microfilme e, agora, grandes servidores armazenam nada menos que 1 trilhão de registros de individuos.
Esse enorme banco de dados é fruto do trabalho da Sociedade Genealógica de Utah, instituição sem fins lucrativos mantida pela igreja. Com funcionários espalhados ao redor do planeta, eles colhem informações para criar a maior árvore genealógica do mundo. "Na doutrina da Igreja, os relacionamentos familiares são eternos, não acabam com a morte. Daí a importância de as pessoas conhecerem a fundo a origem de suas familias", afirma Mario Silva, diretor responsável pela coleta das informações genealógicas na região que abrange Brasil, Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai.
Para isso, uma equipe de dez operadores viaja pelos rincões desses países levando uma parafernália que inclui câmera fotográfica, lente de aumento e uma mesa especial para acomodar os documentos que serão fotografados. Eles saem em busca de registros que comprovem a existência de uma pessoa e deem mais pistas sobre sua relações familiares. Esses documentos são fotografados e, posteriormente, catalogados. Tudo fica aramazenado na montanha de Salt Lake City em rolos de microfilme e, mais recentemente, na fomra de aruivos digitais.
Pode parecer curioso, mas a Igreja Catolica Romana é o principal aliado da Igreja na empreitada. As paróquias são fontes valiosas de informações porque guardam registros de batismos e casamentos. "O registro civil só se tornou obrigatório no país em 1920 e até hoje muita gente que nasce e morre sem ser documentada", observa Silva. Os inventários também são peças importantes no quebra-cabeças genealógico. "Muitas vezes, um filho fora do casamento só é reconhecido no testamento."
Esse material pode ser consultado gratuitamente por qualquer pessoa, ligada ou não a Igreja, em centros de pesquisa criados com essa finalidade. Só no Brasil, há mais de 200 deles.
De uns anos pra cá, a Sociedade Genealógica passou a investir na digitalização dos arquivos e criou um site (www.familysearch.org) onde é possível pesquisar nomes de pessoas, montar a árvore genealógica de uma família e encontrar documentos (por exemplo, a folha do livro onde está registrado o casamento de seus bisavós). Esse é um processo em andamento. A maioria dos registros ainda não está on-line.
O desafio é ainda maior porque a digitalização é feita enquanto a Igreja continua coletando registros. Eles estão longe do fim. Boa parte das paróquias e cartórios brasileiros não foi sequer percorrida. "Com todos os nossos esforços, mal arranhamos a superfície", diz Silva. "É um trabalho eterno."

Jornal Valor Economico

terça-feira, 24 de março de 2009

Mitos e Realidades Sobre a Igreja

video

segunda-feira, 23 de março de 2009

1 Néfi 3:7


E aconteceu que eu, Néfi, disse a meu pai: Eu irei e cumprirei as ordens do Senhor, porque sei que o Senhor nunca dá ordens aos filhos dos homens sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens possam ser cumpridas.

1 Néfi 3:7

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO